Migração do blog – http://brunopereira.org

junho 12, 2008

Já há algum tempo eu estava pensando em colocar meu blog em um serviço de hospedagem, para ter uma liberdade maior na publicação de conteúdo e poder contar com mais alguns serviços.

Na sexta-feira passada eu contratei uma hospedagem e agora possuo uma instalação própria do WordPress. O novo endereço do blog é http://brunopereira.org

Eu importei todo o conteúdo deste blog lá na outra instalação. Todos os posts, comentários e arquivos presentes aqui já estão lá.

Não tenho nenhuma insatisfação com a qualidade de serviço do blog gratuito do WordPress. Ele sempre me atendeu plenamente e me surpreendeu positivamente. Estou mudando para conseguir personalizar mais as coisas e poder contar com serviços como Apache, Tomcat, Subversion, bancos de dados, etc.

Estou com algumas idéias para o blog e aos poucos colocarei as coisas em prática. Meus escassos leitores, por favor atualizem seus links, blogrolls, e feeds RSS/Atom para este novo endereço. Este será o último post que farei neste endereço.

Anúncios

A Concrete está contratando

maio 31, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Olá pessoal, está rolando um processo grande de contratação na Concrete e estou ajudando na divulgação das vagas. Eu trabalho na Concrete há mais de 2 anos e gosto muito da empresa. Eu cheguei na empresa depois de trabalhar por mais de 2 anos numa das maiores (talvez a maior) empresa de consultoria do mundo.

O meu apreço pela Concrete é muito maior do que eu já tive pela empresa anterior. Nesta outra empresa todos nos sentíamos como gado. Sabíamos que cada pessoa era um recurso e pronto. Totalmente descartável, o que explica a alta rotatividade de profissionais que passaram por lá.

Na Concrete desde o começo eu me senti relevante. Os sócios e os associados (nível semelhante a gerentes) me conhecem e a minha opinião é levada em consideração nas decisões da empresa. Em vez de ser o FUNCIONARIO_ID número 105347, eu sou o Bruno Pereira. É uma sensação muito melhor, e isso certamente motiva mais.

Além disso, a Concrete é uma empresa realmente de software. Feita por pessoas que gostam de software e contrata gente que gosta de software. O foco principal da empresa é desenvolvimento mesmo. Com isso, convivemos entre profissionais de alto nível, e isso ajuda muito no amadurecimento e evolução dos profissionais.

Bom, estou ajudando na divulgação de vagas para 3 perfis, com a descrição abaixo. São 2 vagas para cada perfil. Se você se enquadrar neles ou conhecer alguém nesse perfil, por favor me envie um e-mail com seu currículo para: blpsilva@gmail.com.

Analista de Sistemas Java Pleno

Fundamental:
– Java SE 5 e/ou 6, Java EE
– JPA, Hibernate, Struts
– Experiência de uso com algum dos seguintes application servers (se conhecer mais de 1, melhor): BEA WebLogic 9 ou 10, Jboss AS, Apache Tomcat e Geronimo.
– Conhecimento de SQL e modelo de entidade-relacionamento.
– Inglês para leitura e estudo de material técnico. Inglês para conversação é um plus.

Desejável:

– Graduação em Ciência da Computação, Engenharia Eletrônica ou Computação, Informática e Matemática
– Conhecimento e interesse em outras linguagens de programação é bastante apreciado: Ruby, Scala, (Rhino)Javascript, Perl
– Familiaridade com web services e suas especificações WS-*
– Familiaridade com processos de desenvolvimento iterativo

– Familiriadade com comunidades e projetos de Open Source Software
Analista de Sistemas Java Sênior

Fundamental:
– Java SE 5 e/ou 6, Java EE
– JPA, Hibernate, Struts,
– Experiência de uso com algum dos seguintes application servers (se conhecer mais de 1, melhor): BEA WebLogic 9 ou 10, Jboss AS, Apache Tomcat e Geronimo.
– Conhecimento de SQL e modelo de entidade-relacionamento.
– Inglês para leitura e estudo de material técnico. Inglês para conversação é um plus.

Desejável:

– Graduação em Ciência da Computação, Engenharia Eletrônica ou Computação, Informática e Matemática
– Conhecimento e interesse em outras linguagens de programação é bastante apreciado: Ruby, Scala, (Rhino)Javascript, Perl
– Conhecimento de plataforma Linux
– Conhecimento em shell scripting para Unix/Linux é bastante desejável
– Conhecimento em otimização de JVM e Garbage Collector
– Familiaridade com web services e suas especificações WS-*
– Familiaridade com diversos aspectos do ciclo de vida do desenvolvimento de software
– Familiaridade com processos de desenvolvimento iterativo
– Familiriadade com comunidades e projetos de Open Source Software

Consultor/Analista de Infra-Estrutura

– Atuar com suporte à área de produção de TI
– Sólidos conhecimentos de ambientes Linux
– Sólidos conhecimentos em SQL
– Conhecimentos em Oracle e SQL Server para troubleshooting e análise de performance que cause impactos em aplicações
– Desenvolvimento e manutenção de shell scripts
– Sólidos conhecimentos em tópicos de redes TCP/IP, LAN, DNS
– Inglês para leitura e estudo de material técnico. Inglês para conversação é um plus.

Desejável:
– Conhecimentos de Active Directory e protocolo LDAP
– Conhecimentos de WebLogic Server
– Conhecimentos de IIS
– Espanhol para conversação
– Virtualização utilizando suíte VMWare


HP compra EDS. Mas isso faz algum sentido?

maio 14, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Hoje foi anunciado que a HP está comprando a EDS. O valor divulgado da compra é de US$ 13.9 bi.

Li algumas notícias dizendo que este movimento da HP tem como objetivo fortalecer a empresa para competir com a IBM. Entretanto, tenho sérias dúvidas se isso terá sucesso. A HP tem muita força na venda de equipamentos, e também presta serviços de manutenção de infra-estrutura. Já a EDS é uma gigante na prestação de serviços de software, tanto na área de manutenção de infra-estrutura como no outsourcing de aplicações, e consultoria de uma maneira geral. Como algumas áreas das empresas claramente se sobrepõem, imagino que muitos empregos serão cortados.

A HP passará a ter uma estrutura gigantesca, mas ainda ficará atrás da IBM em termos de faturamento. Além disso, embora fortaleça a empresa na disputa com a IBM, não fortalece tanto. A IBM tem uma área enorme de produtos de software que a HP continuará não tendo. Será muito difícil para a HP ganhar espaço contra a IBM sem um braço de software forte. Principalmente na área de middleware, onde a IBM está muito forte. E além da IBM, a HP teria que brigar também contra a Oracle neste nicho, depois que ela comprou a BEA.

É bom lembrarmos que a HP não tem lá um bom histórico em compras. A aquisição da Compaq foi bem traumática e não teve custo-beneficio muito bom para a HP. O mercado americano também não reagiu bem a essa compra da EDS. As ações de ambas as empresas caíram razoavelmente, mostrando que a maioria das pessoas do mercado não achou este negócio uma boa idéia para as empresas.

Na minha opinião, a HP após esta compra ainda é uma empresa incompleta para competir com a IBM, Oracle e Sun. Antes dessa compra a HP não era tida como concorrente direta dessas empresas, mas agora ela é. Penso que para a HP ter realmente relevância nessa disputa, ela precisará de um braço forte de middleware, e uma boa pilha de software em geral.

Com o histórico que a empresa tem, duvido que ela se transforme nisso por conta própria. Na minha visão o que faz sentido é a HP comprar mais alguma(s) empresa(s), para conseguir complementar suas ofertas de serviços. Considerando a consolidação atual do mercado, acho que faria sentido que a HP comprasse a Red Hat, levando o JBoss de lambuja. Além disso seria interessante que eles contassem com algum servidor de BD na pilha, já que os concorrentes possuem isso (DB2, Oracle e MySql). Uma ótima opção seria comprar a EnterpriseDB, que oferece uma versão comercial do Postgres, o excepcional BD open source.

De todas as grandes aquisições que rolaram recentemente, esta da HP é a que menos faz sentido, pelo menos atualmente. Dependendo das ações que eles tomarem em seguida, esta compra pode ser uma boa jogada ou um episódio lamentável como a compra da Compaq. Torço para que a HP aumente seus já fortes vínculos com Linux e Open Source e compre a Red Hat para se apresentar firmemente como competidora de peso. E claro, continuo torcendo pelo sucesso do meu estimado Postgres 🙂


Enquanto isso, a Microsoft desiste de comprar o Yahoo

maio 4, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Em uma nota divulgada publicamente ontem, a Microsoft anunciou que desistiu da idéia de comprar o Yahoo.

As duas empresas não chegaram a um consenso financeiro, mesmo após a Microsoft aumentar sua oferta inicial em cerca de US$ 5 bi. Aparentemente a diferença de cultura entre as empresas é tão grande que o Yahoo exigiu um valor muito alto pela compra, para recompensar seus acionistas.

O Yahoo chegou até mesmo a flertar com uma possível parceria com o Google para serviços de busca, na qual o Yahoo retornaria links patrocinados pelo Google em uma parcela pequena de resultados. Isto valeria apenas nos Estados Unidos e seria um teste para ver o quão interessante isso poderia ser para as duas empresas.

Fazendo parceria ou não com o Google, o fato é que o Yahoo recusou as propostas da Microsoft. Os acionistas certamente temiam pela perda da identidade da companhia, e preferiram arriscar e continuar tendo competir de forma individual.

Depois dessa decisão, ficará muito difícil para a gigante de Redmond a disputa com o Google, considerando a enorme penetração que este está conquistando. A briga por receitas de propaganda ficará muito difícil para a gigante de Redmond, e acredito que a única forma de lutar contra isso seja a oferta de serviços web mais interessantes, para conquistar audiência. O ponto positivo para nós é que certamente esta competição trará mais e mais novidades interessantes para usarmos na internet.


Google também na TV, rádio, mídia impressa

maio 4, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Fiquei sabendo pelo post do Antônio Carlos que o Google lançou recentemente o TV Ads. Esta é uma ferramenta muito interessante e flexível de fazer propaganda na TV.

Eles disponibilizam uma aplicação no “self-service” que permite que pessoas interessadas em veicular propaganda na TV façam isso de forma ágil e prática. Você consegue criar uma campanha, definir seu público-alvo, especificar canais e programas e horários durante os quais a campanha será exibida e dizer o quanto você pretende gastar com isso. A aplicação trará várias sugestões e permitirá que você envie a mídia da propaganda para iniciar a veiculação rapidamente nestes vários canais.

Esta é uma iniciativa inovadora e potencialmente muito poderosa para o Google. Além disso, eles também lançaram o Google Audio Ads e o Print Ads. É isso mesmo: eles já dominam a propaganda na internet, e agora lançam ferramentas inovadoras para tentar ganhar espaço na propaganda feita na TV, rádio e na mídia impressa. Fiquei curioso e fui ver a lista de canais e jornais que já participam disso. A maioria dos canais de TV americanos já permite propaganda através do Google TV Ads e a maioria dos jornais também. Entre os jornais estão por exemplo o New York Times, Los Angeles Times, Washington Post e muitos outros. Além disso, inúmeros jornais pequenos (porém com público muito mais específico, direcionado) já fazem parte do programa também. Muito interessante isso.

Já sabíamos previamente da iniciativa do Google de entrar firme no mercado de dispositivos móveis. Agora eles aumentam drasticamente o alcance das ferramentas de propaganda deles. Para completar, também está nos planos do Google a entrada nos set-top boxes de TV digital. Se essas iniciativas forem bem-sucedidas (e certamente tem boas chances), o Google conseguirá uma impressionante penetração no mercado. Será mais poder do que a Microsoft já teve um dia. E tudo isso com um modelo de negócios que traz muito mais simpatia do que a Microsoft.

Difícil saber qual (e se existirá) o limite para eles. Realmente impressionante. Quando será que isso chegará ao Brasil??


Livros

março 31, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Inspirado pelo post do Guilherme, finalmente arrumei tempo para desengavetar a página de livros que eu queria colocar aqui no blog. Já está disponível a página de livros aqui, onde coloquei uma lista de livros que já li, estou lendo ou pretendo ler. Como a lista é enorme, eu ainda não coloquei todos, mas já tem uma boa quantidade.

Progressivamente irei complementando esta lista, colocando meus comentários nela e classificando um pouco os livros para ficar melhor de ler. Comentários e dicas de livros são muito bem-vindos, então não hesitem em visitar e deixar suas opiniões aqui.


Java Magazine 55

março 8, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Java Magazine 55 - Março de 2008

Caros amigos, nos próximos dias chega às bancas a edição 55 da Java Magazine. Nesta edição sai um artigo meu entitulado “Web services WS-*“.

Este artigo é uma continuação do artigo da edição 54, na qual fiz uma análise dos web services REST e web services WS-*. Na edição 54, o foco era mais teórico, discutindo várias questões relevantes da implementação de web services nas 2 linhas de desenvolvimento.

Neste artigo, o objetivo é partir de um problema real de arquitetura orientada a serviços, e então realizar a modelagem e implementação utilizando a pilha WS-*. O exemplo adotado para contextualizar o problema é o processo de leilão do Mercado Livre, mas num contexto de leilão com apenas 1 usuário adquirindo um determinado item. O desenvolvimento foi feito utilizando o Apache Axis 2, uma das opções mais populares para o desenvolvimento deste nicho em Java.

Na edição 56, esta série será complementada com outro artigo prático, que utiliza a abordagem REST para resolver o mesmo problema proposto para esta edição. O objetivo com estes 2 artigos práticos é utilizar um mesmo exemplo que seja de fácil visualização por parte dos leitores e então descrever os detalhes principais do desenvolvimento de web services utilizando a abordagem WS-* e a abordagem REST.

Espero que os leitores gostem destes artigos e torço para que eles possam contribuir com o entendimento do desenvolvimento de web services, e mais especificamente, a implementação em Java. Ao longo do ano escreverei mais artigos nesta área, então se você tiver interesse no assunto, certamente recomendo acompanhar as edições futuras da revista 🙂