HP compra EDS. Mas isso faz algum sentido?

maio 14, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Hoje foi anunciado que a HP está comprando a EDS. O valor divulgado da compra é de US$ 13.9 bi.

Li algumas notícias dizendo que este movimento da HP tem como objetivo fortalecer a empresa para competir com a IBM. Entretanto, tenho sérias dúvidas se isso terá sucesso. A HP tem muita força na venda de equipamentos, e também presta serviços de manutenção de infra-estrutura. Já a EDS é uma gigante na prestação de serviços de software, tanto na área de manutenção de infra-estrutura como no outsourcing de aplicações, e consultoria de uma maneira geral. Como algumas áreas das empresas claramente se sobrepõem, imagino que muitos empregos serão cortados.

A HP passará a ter uma estrutura gigantesca, mas ainda ficará atrás da IBM em termos de faturamento. Além disso, embora fortaleça a empresa na disputa com a IBM, não fortalece tanto. A IBM tem uma área enorme de produtos de software que a HP continuará não tendo. Será muito difícil para a HP ganhar espaço contra a IBM sem um braço de software forte. Principalmente na área de middleware, onde a IBM está muito forte. E além da IBM, a HP teria que brigar também contra a Oracle neste nicho, depois que ela comprou a BEA.

É bom lembrarmos que a HP não tem lá um bom histórico em compras. A aquisição da Compaq foi bem traumática e não teve custo-beneficio muito bom para a HP. O mercado americano também não reagiu bem a essa compra da EDS. As ações de ambas as empresas caíram razoavelmente, mostrando que a maioria das pessoas do mercado não achou este negócio uma boa idéia para as empresas.

Na minha opinião, a HP após esta compra ainda é uma empresa incompleta para competir com a IBM, Oracle e Sun. Antes dessa compra a HP não era tida como concorrente direta dessas empresas, mas agora ela é. Penso que para a HP ter realmente relevância nessa disputa, ela precisará de um braço forte de middleware, e uma boa pilha de software em geral.

Com o histórico que a empresa tem, duvido que ela se transforme nisso por conta própria. Na minha visão o que faz sentido é a HP comprar mais alguma(s) empresa(s), para conseguir complementar suas ofertas de serviços. Considerando a consolidação atual do mercado, acho que faria sentido que a HP comprasse a Red Hat, levando o JBoss de lambuja. Além disso seria interessante que eles contassem com algum servidor de BD na pilha, já que os concorrentes possuem isso (DB2, Oracle e MySql). Uma ótima opção seria comprar a EnterpriseDB, que oferece uma versão comercial do Postgres, o excepcional BD open source.

De todas as grandes aquisições que rolaram recentemente, esta da HP é a que menos faz sentido, pelo menos atualmente. Dependendo das ações que eles tomarem em seguida, esta compra pode ser uma boa jogada ou um episódio lamentável como a compra da Compaq. Torço para que a HP aumente seus já fortes vínculos com Linux e Open Source e compre a Red Hat para se apresentar firmemente como competidora de peso. E claro, continuo torcendo pelo sucesso do meu estimado Postgres 🙂

Anúncios

Jersey meets Abdera

fevereiro 6, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Talvez os dois mais promissores projetos atualmente sendo desenvolvidos na área de web services Rest são o Apache Abdera e o Jersey. O Apache Abdera oferece uma API para manipulação de conteúdo no formato Atom, e é bastante útil para implementações baseadas no Atom Publishing Protocol. Já o Jersey é a implementação de referência da JSR-311, que mencionei num post recente aqui no blog.

Os 2 projetos são complementares, já que as funcionalidades de ambos não tem muitas interseções. Ontem o Marc Hadley, um dos principais desenvolvedores do Jersey postou sobre um desenvolvimento que ele está fazendo, usando o Jersey e o Abdera em um projeto de web services Restful. No post do Marc Hadley ele menciona que utilizou os recursos HTTP do Jersey (como mapeamento de URIs em classes e métodos e a capacidade de manipular diversos content-types) juntamente com as funcionalidades do Abdera de manipulação de recursos Atom.

Esta iniciativa foi muito bem recebida pelo James Snell e pelo Dan Diephouse (fundador do XFire), que são os principais desenvolvedores do Apache Abdera. O desenvolvimento destes dois projetos vem trazendo enorme amadurecimento aos web services REST e hoje já é possível desenvolver web services neste formato com grande produtividade e poder.

Claro que os projetos ainda estão em um estágio intermediário de desenvolvimento, mas é deles que virá a adoção mainstream com maturidade desta linha de serviços. Estou acompanhando continuamente o que está sendo feito nesta área, e o que já pude ver até agora é fascinante.

A propósito, os dois projetos são open source e os principais envolvidos fazem parte de empresas como a IBM, Sun, Mulesource, entre outras. O desenvolvimento de software open source é hoje em dia a principal forma de desenvolvimento da vanguarda da tecnologia mundial. As empresas já perceberam o sucesso do movimento e estão apoiando firmemente o mesmo. Não posso deixar de registrar minha profunda satisfação com isso. 🙂