Google também na TV, rádio, mídia impressa

maio 4, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Fiquei sabendo pelo post do Antônio Carlos que o Google lançou recentemente o TV Ads. Esta é uma ferramenta muito interessante e flexível de fazer propaganda na TV.

Eles disponibilizam uma aplicação no “self-service” que permite que pessoas interessadas em veicular propaganda na TV façam isso de forma ágil e prática. Você consegue criar uma campanha, definir seu público-alvo, especificar canais e programas e horários durante os quais a campanha será exibida e dizer o quanto você pretende gastar com isso. A aplicação trará várias sugestões e permitirá que você envie a mídia da propaganda para iniciar a veiculação rapidamente nestes vários canais.

Esta é uma iniciativa inovadora e potencialmente muito poderosa para o Google. Além disso, eles também lançaram o Google Audio Ads e o Print Ads. É isso mesmo: eles já dominam a propaganda na internet, e agora lançam ferramentas inovadoras para tentar ganhar espaço na propaganda feita na TV, rádio e na mídia impressa. Fiquei curioso e fui ver a lista de canais e jornais que já participam disso. A maioria dos canais de TV americanos já permite propaganda através do Google TV Ads e a maioria dos jornais também. Entre os jornais estão por exemplo o New York Times, Los Angeles Times, Washington Post e muitos outros. Além disso, inúmeros jornais pequenos (porém com público muito mais específico, direcionado) já fazem parte do programa também. Muito interessante isso.

Já sabíamos previamente da iniciativa do Google de entrar firme no mercado de dispositivos móveis. Agora eles aumentam drasticamente o alcance das ferramentas de propaganda deles. Para completar, também está nos planos do Google a entrada nos set-top boxes de TV digital. Se essas iniciativas forem bem-sucedidas (e certamente tem boas chances), o Google conseguirá uma impressionante penetração no mercado. Será mais poder do que a Microsoft já teve um dia. E tudo isso com um modelo de negócios que traz muito mais simpatia do que a Microsoft.

Difícil saber qual (e se existirá) o limite para eles. Realmente impressionante. Quando será que isso chegará ao Brasil??

Anúncios