Fotografia de um EJB 2.1

maio 29, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Fotógrafos muito talentosos conseguiram capturar uma imagem de um EJB 2.1:

EJB Stateful

O anúncio dessa fotografia foi feito no G1 e lá podemos ter maiores detalhes sobre esse EJB. Pela imagem, não restam dúvidas de que ele é bem Stateful.

No G1 o pessoal usou uma nomenclatura para leigos, e então chamaram esse EJB pelo seu nome fictício, de Rinoceronte Javanês.

As pessoas costumam fazer comentários maldosos sobre os EJBs, dizendo que eles são pesadões e com pouca agilidade. Este espécime nos comprova que isso não passa de intriga da oposição.

Infelizmente fui saber que os simpáticos Rinocerontes Javaneses estão em extinção, restando poucos exemplares no mundo. Talvez possamos contribuir com melhores condições de sobrevivência para os bichinhos, e darmos a eles mais alguns gigas de memória, a comidinha preferida deles. Não deixe esta espécie ser extinta, vida longa aos RInocerontes Javaneses!


Apenas uma vez

abril 28, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Às vezes vamos no cinema já sabendo bastante sobre um filme. Nessas vezes, provavelmente já nutrimos uma certa expectativa sobre o conteúdo do mesmo, e já temos uma idéia do que esperar.

Outras vezes vamos ver filmes sem muito compromisso. Ontem (sábado) fui ver um filme romeno, chamado “Irina Palm“, que até foi legal. Mas o melhor foi ter visto o cartaz de “Apenas uma vez” (“Once“, no título original), que fui ver hoje. Eu tinha visto apenas o cartaz, mas ele me despertou a curiosidade e então fui vê-lo hoje. Sem nenhuma expectativa prévia, e sem ter muita idéia do que iria ver.

Bom, o filme é excepcional. Excepcional e diferente. Altamente musical e cativante. Cativante de tal forma que eu já estou viciado nas músicas e não tiro o filme da cabeça. Além da satisfação pelo filme, agora tenho várias novas músicas legais pra escutar.

O filme é irlandês e nele um músico irlandês (Glen Hansard) conhece uma jovem tcheca (Marketa Irglova) e então eles começam a se conhecer e tocar música juntos. Não vou falar mais do que isso para não estragar a supresa de quem quiser assistir ao filme.

O tal músico é extremamente talentoso, e as músicas são muito legais. Depois de chegar em casa eu fui pesquisar sobre o filme e descobri que o músico e a jovem tcheca são músicos na vida real, e tocam juntos em turnê e tudo. Eles na verdade não são atores, são músicos mesmo. Todas as músicas do filme são compostas pelo Glen Hansard, e a interpretação delas no filme contagia bastante.

Eles ganharam o Oscar de Melhor Canção original este ano, e devo dizer que fiquei satisfeito em saber, pois foi muito merecido. Para quem quiser dar uma olhada, estou colocando abaixo um vídeo do filme. Altamente recomendado!!

E esta música abaixo é muito legal também 🙂


Antes de partir

março 24, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Já há algumas semanas eu queria ver este filme, e hoje finalmente fui. O filme conta com dois dos meus atores preferidos (Jack Nicholson e Morgan Freeman) e superou as minhas expectativas.

Já há algum tempo eu tenho evitado um pouco os filmes pipoca e procurado filmes mais substanciosos. Isto tem a ver com o gosto da minha namorada também, que não gosta de filmes cheios de efeitos especiais, explosões, guerras, essas coisas. Eu gosto de filmes pipoca também, mas de uma maneira geral, tenho me divertido mais com filmes na linha de “Antes de partir”.

Filmes pipoca podem ser muito divertidos, mas basicamente você se distrai durante o filme e depois já está pensando em outras coisas. Claro que alguns filmes desse gênero são sensacionais e marcam bastante, mas não são a maioria. Já os filmes com menos efeitos especiais tentam te cativar de uma forma diferente. Alguns conseguem te fazer pensar sobre várias coisas, possivelmente têm um impacto até sobre a sua forma de ver algumas coisas.

“Antes de partir” fala de dois coroas completamente diferentes um do outro que acabam dividindo um quarto de hospital quando estavam em tratamento de câncer. Ambos recebem dos médicos a notícia de que teriam apenas cerca de 6 meses de vida, e então tomam uma decisão interessante. Saem pelo mundo fazendo diversas coisas das quais tinham vontade e tentam aproveitar da melhor forma possível seu final de vida.

O filme é muito bonito e me fez pensar sobre várias coisas. Já há algum tempo tenho percebido que deixei de fazer coisas que eu fazia sempre anteriormente. Esse mês encontrei o pessoal da faculdade pra jogar sinuca no aniversário do Rodolfo, o que lamentavelmente temos feito pouco. Sinto uma baita saudade dessa turma. Também sinto muita falta do pessoal do colégio. É uma pena que a vida acabe nos tirando o tempo que gostaríamos de ter com tantas pessoas queridas. Acabo só conseguindo vê-los poucas vezes ao ano. Durante vários anos da minha vida joguei vôlei diariamente, e passava os verões inteiros jogando na praia e aproveitando as férias com meus amigos.

Atualmente vivemos uma vida muito corrida. Para termos sucesso e conquistarmos um bom padrão de vida e conforto para a família temos que nos privar de muitas coisas que antigamente podíamos fazer com freqüência. Eu gosto muito do que faço e tenho um enorme prazer em estudar continuamente, tentar evoluir, aprender mais e me tornar um profissional melhor. Talvez seja por isso que às vezes me percebo dentro de um turbilhão de acontecimentos, e vejo as coisas passando tão rápido. As exigências sobre nós crescem continuamente, e especialmente em uma cidade problemática como o Rio de Janeiro, temos que fazer um tremendo esforço para conquistar um pouco mais de conforto.

Este filme me fez refletir sobre várias coisas da minha vida, e trouxe muita saudade de diversas épocas boas da minha vida. Ver a forma que os dois doentes encararam a doença também foi algo interessante. A alegria que eles demonstraram ao aproveitar uns poucos momentos depois de uma vida com tamanha dedicação ao trabalho me fez pensar bastante também. Às vezes vemos a vida passar tão rápido, nos privamos de tantas coisas, e será que fazemos sempre as escolhas certas? Não sei, mas vou refletir mais sobre isso também.

Para finalizar, recomendo a todos que ainda não tenham visto este filme que o façam em breve. Muito muito bom. E ao meu querido avô que perdi há quase 2 anos com a mesma doença, digo-lhe que pensei muito em você também. Quanta saudade!


E eu achava que era bom pra fazer contas de cabeça…

março 24, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Eu sempre fui considerado bom de contas. Meu pai me estimulou quando eu estava ainda sendo alfabetizado, e eu aprendi a tabuada antes de todos os meus colegas de classe. Não errava uma, e eu gostava de fazer contas complicadas de cabeça.

À medida que fui crescendo minha afeição por contas continuou, e eu fazia bem rapidamente contas de raiz quadrada e exponenciais simples, com uma boa precisão. Uma vez tomando um chopp na faculdade com meus amigos e uns professores (o Mauros e o Gerson, que dupla aquela), o Mauros me falou que essa facilidade para contas é muito boa, pois ajuda a manter a acuidade do raciocínio e isso provavelmente me livraria de qualquer chance de ter Mal de Alzheimer quando ficasse mais velho. Eu nunca parei pra verificar se isso é verdade, mas quem me falou merece muito crédito 🙂

Pois bem, depois desse tempo todo, esse fim de semana eu vi um vídeo que o Bairos me mandou, que me fez questionar a minha dita “facilidade para fazer contas”:) O vídeo em questão saiu no Ted.com, um site com umas palestras muito legais. O vídeo em questão pode ser visto aqui. O palestrante se define – com toda justiça, devo dizer – como “mathemagician”. O cara pede pra platéia números de até 5 algarismos e calcula o valor destes números ao quadrado, com uma velocidade absurda. Eu sou capaz de fazer rapidamente estas contas até 2 algarismos. Com 3 algarismos eu até consigo fazer, demorando um pouquinho. 4 algarismos em diante, no way 🙂 Esse cara é muito sinistro, ele deve ter um processador multi-core com cache enorme, porque o que ele fez me deixou completamente pasmo.

Coisas assim são legais para vermos o quanto a mente humana é capaz de nos surpreender. E claro, para lembrarmos que humildade nunca faz mal a ninguém, pois não faltam exemplos de gênios que primavam pela absoluta simplicidade e nos deixaram legados fabulosos.


Métricas de qualidade de código

fevereiro 11, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

De acordo com essa tirinha abaixo, a única medida válida para qualidade de código é a quantidade de What the Fucks por minuto. Impossível ilustrar tão bem a realidade como isso 🙂

What the fucks por minuto


Elixir of productivity boost

janeiro 20, 2008

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Since I returned from my trip to Argentina and Chile, I’ve been pretty busy at work and when I get home at night. I’m writing an article on web services (more on that in February…) and got a small freelance project to do.Sometimes it’s kinda hard to produce well at night after a tiresome day at work, but a long time ago I discovered my powerful elixir of productivity at night 🙂 For those of you who do not know me personally, although I’m rather eclectic regarding music, I’m a brave heavy metal fan at heart 😉

When I must start high octane mode at 9 PM, I usually start listening to a power metal set, composed mostly by some finnish bands I love. This year, I’ve been listening to Sonata Artica, Nightwish and Stratovarius most of the time. These bands have some very addictive songs, and the high speed drums combined with the talent of their singers (as for Nightwish, I’m refering to the Tarja Turunen epoch) give me my much needed energy.

Tony Kakko, Tarja Turunen and Timo Kotipelto are really great singers and exceptional live performers.Unfortunately, I never had the chance of going to a Sonata Arctica gig, but I went to Nightwish and Stratovarius gigs in the past and it was awesome. I really like to listen to their live performances, and fortunately You Tube offers a very rich collection of everything you want to listen, so I recently created a playlist there.

For those of you who want to make use of my powerful elixir of productivity boost, the playlist can be accessed here. Long live heavy/power metal! Have fun!


Allen Iverson – The Power of “The Answer”

dezembro 19, 2007

Atenção, este blog foi migrado para: http://brunopereira.org

Algumas pessoas que me conhecem sabem que gosto MUITO da NBA. Acompanho a NBA e especificamente o Chicago Bulls desde que vi na TV os jogos das finais do 1o título deles em 1991, contra os Lakers e virei fã do Michael Jordan e Scottie Pippen.Esta temporada o Chicago começou meio devagar, e então eu não estava tão empolgado como no ano passado. Mas vendo uns vídeos aqui, me revigorou a vontade de acompanhar e ver os jogos. Especificamente, vi um vídeo sensacional do Allen Iverson, conhecido como “The Answer”. Embora o Michael Jordan seja o maior jogador de todos os tempos e o que eu me gostava de ver no basquete, o AI também tem um repertório impressionante.

Allen Iverson foi a 1a escolha do draft e o calouro do ano de 96. Neste vídeo que estou lhes indicando, ele fala umas coisas no mesmo contexto do meu post anterior. Ele diz: “Eu não quero ser Jordan, não quero ser Magic, não quero ser Bird. Quando minha carreira acabar, quero olhar no espelho e dizer: fiz as coisas do meu jeito”. E logo depois ele diz: “Alguns caras fogem do desafio, eu vou lá e encaro!”. Inspirador, não é?? De certa forma dá para ver essa mentalidade com alguma semelhança com o que coloquei no meu post anterior. I wanna rise up to the challenge!

Bom, chega de papo, recomendo a todos que assistam a esse vídeo e apreciem o melhor crossover da história da NBA, um dos maiores talentos a jogar basquete até hoje e um dos jogadores mais carismáticos da liga. Com direito a um crossover lindo em cima do MJ no ano de calouro do AI, quer mais??